Álvaro Garnero e a equipe do 50 por 1 desembarcaram na Jordânia e foram conhecer um dos mais famosos Patrimônios Históricos da Humanidade, a cidade de Petra.

Petra, originalmente conhecida pelos nabateus como Raqmu, é uma cidade histórica e arqueológica localizada no sul da Jordânia. A cidade é famosa por sua arquitetura esculpida em rocha e por seu sistema de canalização de água. Outro nome para Petra é Cidade Rosa devido à cor das pedras do local.

Estabelecida possivelmente já em 312 a.C. como a capital dos árabes nabateus, é o maior cartão postal jordaniano, assim como a atração turística a mais visitada do país. Os nabateus eram árabes nômades que aproveitaram a proximidade de Petra com as rotas comerciais regionais para estabelecê-la como um importante centro comercial. Os nabateus também são conhecidos por sua grande habilidade na construção de métodos eficientes de coleta de água em desertos áridos e seu talento em esculpir estruturas em rochas sólidas.

Álvaro se surpreendeu com as formações rochosas no caminho para a cidade e com todo o trabalho para esculpir os edifícios nas pedras. Além do “tesouro” (que muita gente acha que é um castelo, mas que era simplesmente a tumba de um dos líderes nabateus), a cidade conta com um anfiteatro romano, vários locais onde funcionavam lojas e altares com figuras das mais diversas religiões, já que Petra era uma cidade altamente cosmopolita pela sua localização.

Antes de sair da cidade, Álvaro aproveitou para passar um tempinho no Mövenpick Resort Petra, que fica exatamente em frente ao sítio arqueológico e é a melhor opção para quem precisa se hospedar por lá ou até almoçar. De Petra, Álvaro parou no Monte Nebo, o local que marcou o fim da jornada de Moisés, conduzindo seu povo pelo deserto rumo à Terra Prometida. Após a morte do profeta, coube a Josué conduzir os hebreus e concluir a viagem. Muitos acreditam que o próprio Moisés está enterrado em algum local do monte. A última parada foi no ponto mais baixo do planeta, no Mar Morto. A equipe do 50 por 1 se hospedou no Mövenpick Resort & Spa Dead Sea, um hotel que recria as cidades jordanianas do século XIX e oferece uma diversidade de atrações como restaurantes, piscinas, tratamentos de spa, mas a maior atração mesmo é o mar morto. Um lago, não um mar, tão salgado, mas tão salgado, que é impossível mergulhar. Até quem não sabe nadar boia. Foi no mesmo Mar Morto que Jesus andou e que a equipe do 50 por 1 teve a honra de se banhar..

 

Assine nossa newsletter

ME ACOMPANHE NO FACEBOOK

ME SIGA NO INSTAGRAM

ME SIGA NO TWITTER

English English Português Português