Quando pensamos em cinema, a primeira cidade que vem em mente é Los Angeles, berço da indústria cinematográfica norte-americana e sede da maioria dos estúdios cinematográficos dos EUA.

Outras duas cidades recorrentes no cenário cinematográfico são Paris e Nova York, sempre como cenários inesquecíveis. Do lado oriental, temos Mumbai, na Índia, com a Bollywood e uma bilheteria de fazer inveja ao ocidente. Mas pouca gente relaciona Toronto, a maior cidade canadense, com cinema, mas é nela onde a maioria das produções cinematográficas de Hollywood são realizadas nos dias de hoje.

Toronto fica fora do radar do grande público, porque grande parte dos filmes que são gravados por lá não se passam em Toronto, como o ganhador do Oscar de roteiro original “Gênio Indomável”. Toronto nesse caso se transformou em Boston, para contar a história encenada por Matt Damon, Robin Willians e Ben Affleck. A direção de arte foi tão convincente que muita gente ainda tem dificuldade em acreditar que isso é verdade.

A explicação para o uso da cidade são as facilidades fiscais. Há mais de três décadas a prefeitura de Toronto  resolveu diminuir a taxação de impostos de empresas que decidam gravar seus filmes na cidade. Outra facilidade é que Toronto é muito próxima de Nova York e toda a população fala inglês. O resultado é que pelo menos metade da produção que seria gravada nos EUA migrou para cidade canadense. Duvida? Lembra do primeiro filme da cineasta Sophia Coppola, “As Virgens Suicidas”? A história, em teoria, se passa em Grosse Point, no Michigan. Mas foi totalmente gravada em Toronto.

Até um famoso filme que leva o nome de uma ainda mais famosa cidade norte-americana, foi gravado em Toronto. Isso mesmo, o musical “Chicago”, superprodução estrelada por Richard Gere, Catherine Zeta Jones e Renée Zellweger retrata a violenta Chicago de 1920. Supostamente filmar em Chicago seria a solução lógica. Mas o longa-metragem foi gravado em sua íntegra na cidade canadense, cenas de externa e de estúdio. Quem vê, não é capaz de adivinhar.

Outro ganhador do Oscar, o drama “Brokeback Mountain”, que na história retrata a paixão de dois caubóis nas montanhas de Wyoming, surpreendentemente também não foi gravado nos EUA. As montanhas bucólicas que enfeitam a maioria das cenas do filme são do estado de Ontário, já as casas e cenários internos foram todos montados em Toronto, capital do estado de Ontário.

Inclusive “Psicopata Americano”, drama que retrata um yuppie nova-iorquino nos anos 80 que não batia bem da cachola , transformou a cidade de Toronto em Nova York, só para baratear os custos da produção. Ou seja, é mais barato transformar Toronto em Nova York do que filmar na cidade americana.

Aliás, até a capital cinematográfica dos EUA, Los Angeles, foi trocada por Toronto pelo ganhador do Oscar de melhor filme de 2004, “Crash”. A história se passa em uma Los Angeles quente e caótica, cheia de contrastes entre o mundo dos ricos e famosos e das pessoas com menos posses. Mas as cenas foram gravadas na bem mais gelada e bem mais igualitária Toronto. Quem assistiu o filme e conhece Los Angeles tem até dificuldade de acreditar. Toronto ficou igualzinha à LA. É a mágica do cinema.

Alguns famosos filmes hollywoodianos acabaram transformando pontos turísticos canadenses em pontos turísticos mundiais. É o caso da Casa Loma, um museu da Cidade de Toronto que virou cenário para  a escola do professor Xavier, na saga cinematográfica “The X-Men”. Os exemplos são tantos que esse artigo poderia ter centenas de páginas com eles. Mas, se você está pensando em se encontrar com alguma estrela de Hollywood, talvez seja melhor adiar sua visita a Los Angeles e fazer uma viagem até Toronto. Fica a dica.

 

Assine nossa newsletter

ME ACOMPANHE NO FACEBOOK

ME SIGA NO INSTAGRAM

ME SIGA NO TWITTER

English English Português Português